terça-feira, 29 de julho de 2008

Origens da Quadrante Sul

por Gervásio Santana de Freitas (*)

Para escrever sobre as origens da Quadrante Sul precisei primeiro me desligar de todas as coisas do presente, cerrar as pálpebras, e, com os olhos da mente, vasculhar memórias e lembranças de fatos e momentos agradáveis vividos há mais de 20 anos.

Este opúsculo foi muito mais do que um simples fanzine. Pelas características apresentadas a publicação pode ser classificada como um pró-zine, ou seja, um fanzine profissional, o que para mim coloca esta publicação num patamar de revista e é assim que me referirei a ela neste texto.

A Quadrante Sul ficou conhecida como uma publicação conjunta de três rio-grandenses fanzineiros: Gervásio Santana de Freitas (editor do fanzine Estilo), Denilson Rosa dos Reis (fanzine Tchê) e Alex Doeppre (fanzine Antimatéria). Unir esforços e interesses, repartir o trabalho e somar recursos foi o propósito que possibilitou o nascimento de uma publicação mais forte, mais arrojada, com enfoque profissional.

Enquanto os fanzines da década de oitenta em sua maioria eram reproduzidos via xérox e distribuídos de forma underground, a Quadrante Sul transcendeu este paradigma, tendo impressão em off-set, capa em cores, propaganda na capa e no corpo da revista, distribuição consignada em bancas do sul do Brasil e uma proposta ousada de remunerar os colaboradores que publicassem trabalhos na revista.

Enquanto publicação independente, a Quadrante Sul estava à frente do seu tempo e talvez por esta ousadia pagou o preço elevado de não conseguir sobreviver e durou apenas três edições. Numa época em que não tínhamos acesso a computador, foi em prosaicas máquinas de datilografia que o lay-out e a diagramação do projeto nasceu, de forma completamente artesanal, na base do recorta e cola.

A retomada deste projeto duas décadas depois representa o pagamento do justo tributo à nossa própria história e o resgate de uma publicação que coloca em evidência parte das raízes do movimento fanzinístico gaúcho e brasileiro.

De como este projeto era para ser administrado por um grupo de cinco fanzineiros, um quinteto; de como recebeu o nome de Quadrante (e depois o sufixo Sul) com proposta de administração de quatro pessoas; e de como, na verdade, foi coordenado por um trio, será assunto para outro artigo.

(*) Gervásio Santana de Freitas é professor de Filosofia, Psicologia e Sociologia, técnico em informática e coordenador do Portal TexBR - http://www.texbr.com/

2 comentários:

Denilson disse...

Muito bom este texto do Gervásio, digno de abrir o nosso blog. Concordo com as palavras do Gervásio quanto a volta da revista ser uma homenagem a nossa prórpia história. Eu fico muito agradecido por tudo que estamos fazendo pela Quadrante Sul.

Gervásio Santana de Freitas disse...

Valeu, Denilson. Estamos em conjunto reescrevendo parte daquilo que se perdeu com a não saída da edição 4 da Quadrante. Com novos ânimos, com novos participantes, com sangue novo...